Fecomércio PR incentiva empresas a contratar venezuelanos

28 jan 2020
A 1º Tenente do Exército Brasileiro, Stéphane da Silva, a assistente de projeto da Organização Internacional para as Migrações (OIM-ONU), Nerissa Krebs Farret, e o superintendente da Fecomércio PR, Eduardo Luiz Gabardo Martins, durante reunião realizada na sede da Fecomércio PR, em 24/01/2020

O Brasil recebe, em média, 500 venezuelanos por dia. A interiorização desses refugiados vem sendo feita pela Operação Acolhida, coordenada pelo Exército Brasileiro e Ministério da Defesa, com a cooperação de outros órgãos federais, estaduais e municipais do Brasil, agências da Organização das Nações Unidas (ONU) e entidades não governamentais.

Desde abril de 2018, mais de 25 mil pessoas que fugiram do regime político local começaram uma nova vida em solo brasileiro, assistidas pela operação. As cidades que mais receberam venezuelanos foram Manaus (3.993), São Paulo (1.958), Dourados (1.448), Curitiba (1.096) e Porto Alegre (922).

Mas ainda há mais de 30 mil migrantes à espera de uma oportunidade para recomeçar. E as empresas brasileiras podem auxiliar nessa força-tarefa humanitária.

Entre as ações para a interiorização, existe a modalidade Vaga de Emprego Sinalizada, que visa à inserção socioeconômica dos venezuelanos, por meio de uma espécie de Central de Vagas. Nesse sistema, são cadastradas todas as qualificações profissionais e histórico laboral dos migrantes, com foco na busca de vagas de emprego em todas as regiões do Brasil.

Nesta quinta-feira (23), representantes da Operação Acolhida estiveram na Fecomércio PR para apresentar esse trabalho e solicitar o apoio da instituição junto às empresas do comércio de bens, serviços e turismo do Paraná.

A Fecomércio PR, representante de mais de 500 mil empresas do setor terciário, apoia essa iniciativa e acredita que o empresariado do estado pode fazer a diferença nessa causa humanitária.

As empresas interessadas em contratar imigrantes venezuelanos ou mesmo conhecer melhor o programa Vaga de Emprego Sinalizada, podem entrar em contato com a Célula de Interiorização da Operação Acolhida por meio do e-mail: opacolhidainteriorizacao@gmail.com ou interiorizacao@ftloghum.eb.mil.br, já especificando quais as vagas de emprego pretende disponibilizar, a necessidade da empresa e o perfil (habilitações) do trabalhador pretendido.

SERVIÇO:

Célula de Interiorização (Operação Acolhida)
Contato telefônico (Whatsapp): (95) 99905-2173
Site: www.eb.mil.br/operacao-acolhida

Mídias sociais:
Canal no Youtube: www.youtube.com/watch?v=5zd-tKaJUSQ&t=4s
Instagram: https://www.instagram.com/opacolhida/
Twitter: https://twitter.com/opacolhida?lang=es
Facebook: https://www.facebook.com/opacolhida/

FAQ – PERGUNTAS FREQUENTES

QUAIS DOCUMENTOS ELES RECEBEM?

Ao ingressar em território nacional o imigrante pode, de imediato, dar entrada no seu protocolo de refúgio ou de residência temporária, conseguindo, assim, retirar os seguintes documentos: CPF (Cadastro de Pessoa Física) junto à Receita Federal; registro de identidade de estrangeiro, junto à Polícia Federal e carteira de trabalho (em fase de transição para a versão eletrônica), junto ao Ministério da Economia e Ministério da Justiça. Ressalta-se que a primeira providência das autoridades brasileiras junto ao imigrante é a regularização de sua carteira de vacinação.

O IMIGRANTE PODERÁ SER CONTRATADO REGULARMENTE PELA CLT?

Certamente poderá. A partir do momento em que o imigrante retira sua carteira de trabalho e recebe seu protocolo com o número do RNE (Registro Nacional de Estrangeiro), emitido pela Polícia Federal, o mesmo pode ser contratado normalmente por meio da CLT.

COMO FAÇO PARA CONTRATAR UM IMIGRANTE?

Primeiramente, deve-se entrar em contato com a Célula de Interiorização da Operação Acolhida (D12) por meio do correio eletrônico: opacolhidainteriorizacao@gmail.com ou interiorizacao@ftloghum.eb.mil.br

Escolha um dos endereços acima e especifique quais as vagas de emprego pretende disponibilizar, a necessidade da empresa e o perfil (habilitações) do trabalhador pretendido.

COMO É FEITA A SELEÇÃO DOS IMIGRANTES PARA A VAGA DE TRABALHO?

Na Célula de Interiorização há um banco de dados informatizado com todos os imigrantes que se candidataram ao programa de Interiorização. Assim, ao ser disponibilizada a vaga de trabalho pela empresa, nossos militares buscam os currículos que melhor se enquadram dentro das especificações dadas pelo empregador. Havendo interesse da empresa, poderão ser realizados testes e entrevistas presenciais ou via videoconferência com os selecionados.

APÓS A SELEÇÃO, COMO OS IMIGRANTES CHEGAM A CIDADE DE DESTINO? HÁ CUSTOS DE TRANSPORTE E MORADIA PARA EMPRESA?

Após selecionados, com apoio das Forças Armadas, juntamente com as agências da ONU e outros parceiros da empresa, os imigrantes são conduzidos para a cidade onde irão residir e trabalhar. Esse transporte é feito sem custos para a empresa, utilizando as aeronaves da Força Aérea Brasileira ou, quando possível, voos comerciais. Vale lembrar que o processo pode demorar alguns dias devido ao trâmite para sua finalização e agendamento dos voos.

Em relação à moradia na cidade de destino, com o apoio das Agências da ONU e da Sociedade Civil Organizada, o imigrante é acolhido em abrigos locais ou inserido em programas de apoio ao imigrante. Ex: pagamento do primeiro aluguel (ONU). Em alguns casos, o empresário poderá disponibilizar alojamento ou moradia em residências.

Texto: Karla Santin