Alta do dólar já impacta na intenção de consumo dos paranaenses

28 maio 2018

O indicador de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), elaborado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), chama atenção para possível redução no consumo. Apesar de ser 10,9% superior à pontuação registrada em maio de 2017 e estar 20% acima da média nacional, que é de 87,1 pontos, o indicador teve nova queda em maio. Com 105,3 pontos, reduziu 3,7% em relação ao mês anterior.

Dentre os componentes do indicador, as reduções mais expressivas ocorreram nos aspectos Momento Compra de Bens Duráveis (-10,3%), Perspectiva de Consumo (-4,9%) e Nível de Consumo Atual (-4,6%).

As altas do dólar e dos combustíveis, bem como a instabilidade na esfera política, têm afetado a predisposição de gastar dos consumidores paranaenses, já bastante endividados. Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), também elaborada pela CNC e Fecomércio PR, o endividamento voltou a subir no Paraná no mês de abril, com 88,5% das famílias com algum tipo de dívida. A greve dos caminhoneiros deverá abalar ainda mais a intenção de consumo.

A redução da ICF é mais evidente entre as famílias com renda superior a dez salários mínimos. Com 114,2 pontos, o indicador caiu 6% ante abril. Entre as famílias com renda abaixo desse patamar, a ICF é de 103,4 pontos e teve queda de 3% em relação ao mês anterior.

Emprego

A situação do emprego registra 118,8 pontos em maio, com variação mensal de -2,2% e variação anual de 2,8%. Os consumidores com renda mensal acima de dez salários mínimos são os que se sentem mais seguros em relação ao emprego, com 48,8% ante 35,3% entre aqueles de menor renda.

Porém, os paranaenses que ganham mais têm a menor Perspectiva de Melhora Profissional, com 95,8 pontos ante 96 pontos entre os trabalhadores com salários menores.

Renda e acesso ao crédito

A avaliação sobre a renda atual ficou em 157,1 pontos e teve pouca variação tanto em relação a abril (-0,2%) quanto em relação a maio de 2017 (-0,7%). Dentre os paranaenses, 63,8% avaliam que a renda familiar está melhor do que no mesmo período do ano passado.

A situação atual de crédito marca 91,1 pontos neste mês, com redução de 3,7% ante abril e alta de 13,6% na variação anual. O acesso ao crédito é considerado mais difícil para 43% dos consumidores com renda até dez salários mínimos, ante 31,5% entre aqueles com renda superior.

Assessoria de Imprensa: 

Karla Santin
Núcleo de Comunicação e Marketing – Sistema Fecomércio Sesc Senac PR
Fones: (41) 3304-2072 | (41) 3883-4530
E-mail: karla@pr.senac.br