Intenção de Consumo das Famílias

ICF– INTENÇÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS | OUTUBRO DE 2017

25 out 2017

Intenção de Consumo das Famílias continua em alta

Resultado é o melhor desde julho de 2015

O indicador de intenção de consumo elaborado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), e divulgado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), mantem o bom desempenho com variação positiva. O indicador do Paraná está em 99 pontos, 2,8% acima com relação ao mês anterior e mostrando recuperação de 7,9% com relação a outubro de 2016.

 

Já o indicador nacional está em 77,9 pontos. Um aumento de 1,4% com relação a setembro, representando maior variação mensal do índice desde março 2017. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o índice também cresceu 5,4%.

 

Neste mês de outubro o índice da ICF está mais próximo da pontuação ideal, que é quando permanece acima de 100 pontos, sendo assim considerada positiva. Nas classes com renda maior que 10 salários mínimos o consumo já está positivo com 108,1 pontos.

 

O resultado desse mês de outubro é o maior do período desde 2015, quando o índice era de 93,7, caindo para 88,8 em 2016. O recuo da inflação, a queda dos juros e a criação de novos postos de trabalho formal geram um conjunto de fatores que indica a retomada do consumo das famílias, movimento que deve aquecer o comércio e o setor de serviços.

 

A perspectiva de consumo do paranaense, um dos principais indicadores que compõem a ICF, vem se mantendo em alta e comparada ao mês de setembro e apresentou uma variação de 6,1%. Em relação ao mesmo período de 2016 a variação também foi positiva com 32,2%. Os dados nacionais mostram alta de 16,7% com relação a 2016 e de 5,4% comparada ao mês anterior.

 

             Variações positivas entre classes

Entre as classes, tanto nas famílias com renda de até 10 salários mínimos, como nas de maior renda (mais de 10 s.m) os índices de perspectiva profissional, acesso ao crédito, perspectiva de consumo, momento para duráveis apresentaram variação positiva quando comparados ao mês de setembro.

 

O índice com maior reação positiva foi o momento para duráveis com 27,9% nas famílias com renda superior a 10 salários mínimos. Os índices de emprego atual e renda atual nas classes de até 10 salários mínimos tiveram variação negativa de 2,3% e 2,5% respectivamente, quando comparadas ao mês anterior.

 

 

 

Indicadores como acesso ao crédito, perspectiva profissional, situação no emprego, perspectiva de consumo, renda atual, consumo atual e momento para compra de bens duráveis são os indicadores de composição da ICF.  O desmembramento mostra o desempenho de todos os índices, trazendo a resposta dos resultados da intenção de consumo das famílias paranaenses dos meses de outubro desde 2010.

 

Momento para bens duráveis

 

Esse indicador mede a percepção do consumidor para compra de bens duráveis, que são produtos de maior valor agregado, que na sua grande maioria requer endividamento. O perfil do paranaense mostra maior intenção para compra desse tipo de produto, que apontou alta comparada ao mês anterior, atingindo quase o dobro de pontos do índice nacional.

 

 


 Compartilhar